O Congresso Democrático das Alternativas
apela à participação na Greve Geral de 27 de junho

Olhando à nossa volta, vemos a cada dia que passa mais pessoas desempregadas e com menos apoios sociais, mais empobrecimento e precarização dos trabalhadores e reformados, mais empresas a falirem, a degradação contínua dos direitos sociais, da escola pública e do serviço nacional de saúde. Vemos, sem fim, a destruição sistemática da economia e das condições de vida dos portugueses.

Esta situação inaceitável e ultrajante, criada em nome do pagamento de uma dívida que cada vez se torna mais impagável, resulta quer do memorando com a troika, quer da teimosia de políticas governativas que são ilegítimas por contrariarem os programas eleitorais dos partidos no Governo e por merecerem o claro repúdio da larga maioria dos portugueses. Políticas de um Governo socialmente isolado, que só as pode manter devido à cumplicidade activa do Presidente da República. Assim, esta situação é também um enorme desrespeito por todos os cidadãos e pelo contrato social em que se baseia a nossa democracia.

Participar na Greve Geral que foi convocada pela CGTP-IN, pela UGT e por diversos sindicatos independentes para o próximo dia 27 de junho é, pois, uma acção de cidadania em favor de direitos inalienáveis e uma necessária afirmação da dignidade de cada um de nós e do País.

O Congresso Democrático das Alternativas apela a todos os cidadãos para aderirem à próxima Greve Geral, para participarem nas iniciativas de protesto marcadas no seu âmbito, e para fazerem convergir os seus esforços no combate às políticas de austeridade, na exigência da denúncia do memorando e da demissão do governo.