A Crise, a Troika e as Alternativas Urgentes


A combinação da denúncia e da proposta constitui um elemento fundamental da intervenção do Congresso Democrático das Alternativas, no seio do qual surgiu o projeto do presente livro. O Congresso afirma‐se hoje como um movimento cívico de intervenção política não‐partidária, que reúne cidadãos de diferentes orientações políticas, com e sem partido, visando a construção de denominadores comuns nas opções de política pública e nos processos de ação coletiva que fundamentem, deem força e credibilizem alternativas políticas de governação. A expectativa dos autores é que este livro contribua para gerar as convergências e a mobilização cívica necessárias para resgatar Portugal para um futuro decente.
[Excerto da Introdução]

À venda nas livrarias
e nas bancas com a edição de setembro do Le Monde Diplomatique


TÍTULO
A Crise, a Troika e as Alternativas Urgentes

AUTORES
Alexandre Abreu, Hugo Mendes, João Rodrigues, 
José Guilherme Gusmão, Nuno Serra, Nuno Teles, 
Pedro Delgado Alves, Ricardo Paes Mamede

EDITORA
Tinta da China, 1ª edição – agosto 2013

INTERIOR
200 pp. excerto: pdf (135 KB)

Os resultados da aplicação do programa da Troika em Portugal nos dois últimos anos estão à vista de todos: desemprego maciço, aumento das desigualdades e da pobreza, instabilidade pessoal e social, emigração forçada, falências de empresas. Alguns insistem em ver nestes sinais os custos inevitáveis de um processo de ajustamento necessário, transitório e essencialmente correto. No entanto, é hoje claro que aquela estratégia falhou nos seus próprios termos: as metas de redução do défice orçamental foram sucessivamente adiadas e a dívida pública é hoje mais insustentável do que em 2011.

Este livro procura demostrar que o programa da Troika não resolve – antes agrava – as dificuldades que começaram a avolumar-se há duas décadas e que conduziram Portugal à situação presente. Assim, construir alternativas à estratégia da Troika é fundamental para inverter o atual círculo vicioso de degradação social, económica e democrática. Mas também para construir um modelo de desenvolvimento para o país que seja económica, social e ambientalmente sustentável.

São precisas alternativas, corajosas e urgentes, para resgatar Portugal para um futuro decente.

CAPÍTULOS


1. O que conduziu a economia portuguesa à crise?
2. O que levou Portugal a pedir a intervenção da Troika?
3. Em que consiste o programa acordado com a Troika?
4. Depois de tantas alterações, o Memorando ainda é o mesmo?
5. Que consequências teve a implementação do programa da Troika até aqui?
6. O programa da Troika resolve os problemas da economia portuguesa?
7. Quais as implicações deste programa para o futuro de Portugal?
8. O «regresso aos mercados» é o fim do programa da Troika?
9. Quais as alternativas ao programa do governo e da Troika?